Monográficos Presentación | Último número | Números anteriores | Números en prensa | Números próximos | Índices
Núms. especiales Presentación | Último número | Números anteriores | Índice temático | Columna de Opinión | Recensiones | Entrevistas
Publicación Normas y envío de colaboraciones | Contactar | Créditos | Consejo asesor | Comité científico | Evaluadores | Memoria | Suscripción

Cargando
Presentación

Número 73 Enero-Abril / Janeiro-Abril 2017

Apresentação

Não podemos definir o mundo do século XXI sem referir-se a ele como globalizado. Consequentemente, o desenvolvimento sustentável e o ensino superior são obrigados a interagir de forma sustentável no âmbito educativo, de pesquisa e de transferência social.

A missão desta corresponsabilidade entre o desenvolvimento sustentável e a universidade é oferecer garantias de preservação dos direitos humanos, civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais do planeta para as gerações atuais e futuras. A prova dessa necessidade premente é o anúncio dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável feito pela ONU em setembro de 2015.

Esta edição da RIE enfrenta de maneira multidimensional a teoria e a prática destes conceitos em diferentes cenários. Os trabalhos apresentados são de uma pesquisa de alta qualidade, cujo ponto em comum é a abordagem inclusiva e de atenção à diversidade dos seres humanos como agentes, não locais, mas globais nos processos de ensino e aprendizagem.

Poderemos constatar por meio dos artigos que compõem esta monografia que não existe uma única maneira de considerar a interação do desenvolvimento sustentável com o ensino superior. De acordo com a nossa perspectiva da complexidade do tema, concebemos esta interação de maneira sistêmica e holística. Sistêmica e corresponsável, já que as ações da primeira impactam necessária e diretamente na segunda e vice-versa. E holística, porque a totalidade de um mundo virtual conectado, nos obriga a enfrentar o desafio da sustentabilidade no ensino superior, incluindo o aspecto plural e transdisciplinar em nome de uma ética global.

A rota conceitual sobre a evolução do termo sustentabilidade se inicia com o artigo de David Alba, que aborda os preceitos conceituais de sustentabilidade ambiental no âmbito universitário, passando pelas declarações internacionais que impulsionaram esse termo a fim de ajudar a estruturar as políticas universitárias de sustentabilidade, como uma forma de melhorar a execução destas.

Elson Santos Silva Carvalho e Dernival Venâncio Ramos nos propõem uma reconceitualização, ou como eles apresentam, uma reavalição do termo ecopedagogia para contrapor os efeitos do atual modelo de desenvolvimento humano rumo a uma nova forma de ação, que possibilite uma implementação democrática do conhecimento no ensino superior.

Mas nenhuma mudança pode ser feita isoladamente, pois atualmente é necessário unir forças para poder transformar o planeta. A autora Mª Ángeles Murga Menoyo, a partir de uma revisão sistemática, nos introduz as redes nacionais e internacionais que, em matéria de desenvolvimento sustentável estão liderando as ações implementadas no ensino superior, no campo das estruturas de gestão, de pesquisa e de formação.

Há uma década que o mundo acadêmico vem trabalhando para identificar as competências-chave da sustentabilidade no ensino superior para incorporá-las aos processos de ensino e de aprendizagem. Assim, antes de entrar em um conjunto de artigos, de diferentes formas ou visões, os professores Valentin Gonzalo Muñoz, Laura Benítez Solis, Rosa María Sobrino e Alfonso Coronado Marín procuram responder a esta necessidade global de mudança do atual modelo de desenvolvimento. Para tanto, apresentam uma revisão sistemática identificando as competências por e para a sustentabilidade.

Posteriormente, autores como Bienvenida Sánchez Alba, Inmaculada Gomez-Jarabo e a professora Carmen Sabán Vera, tratam da necessidade de inserir nos perfis profissionais as habilidades voltadas para a sustentabilidade. Leslie Collazo e Ana María Geli, o grupo de pesquisa da Universidade de Cádiz, Francisco Machín e colaboradores e Javier Collado nos apresentam suas visões sobre como incluir a sustentabilidade nos currículos universitários.

Sem deixar de mencionar a importância que o docente desempenha neste processo de mudança e transformação das universidades, autores como Pilar Aznar Minguez e o grupo de pesquisa SOSCUVEG aprofundam o tema da atualização do professor universitário a esse respeito.

Que o artigo de Sílvia Albareda Tiana e colaboradores nos sirva para ajudar a identificar as barreiras para a sustentabilidade integral na universidade a fim de que esta monografia seja uma realidade de experiências compartilhadas que possibilitem a mudança para universidades de qualidade, que incorporem em todas as suas dimensões essa responsabilidade exigida para com o planeta e com o ser humano.

*Belén Sáenz-Rico de Santiago

Universidad Complutense de Madrid

 

Índice Indice Subir Subir

Destacado

Colaboraciones: Hasta el día 1 julio de 2017 está abierta la convocatoria para el envío de colaboraciones al monográfico vol. 75 . “Pedagogía Escolar y Social’

Colaboraciones: Hasta nuevo aviso solo se aceptarán artículos para los números monográficos

Redes sociales de la OEI
Cursos de la OEI


Gestión Cultural



Especialización en preparación de licitaciones internacionales de proyectos de cooperación

RIE Versión monográfica

RIE 72Septiembre-Diciembre / Setembro-Dezembro 2016
Educación Infantil (II)

Educação infantil (II)

Creative Commons License
Esta obra está bajo
una licencia
de Creative Commons

La selección de los artículos se realiza mediante el "arbitraje ciego" de, al menos, dos miembros del Comité Editorial.
A seleção dos artigos se realiza pela "arbitragem cega" de pelo menos dois membros do comitê editorial.

Los artículos se publican en castellano o en portugués, respetando la lengua del original.
Os artigos editam-se em castelhano ou em português, respeitando a língua do material original

La RIE es una publicación indizada en:
Latindex Iresie
CINDOC
Abes Sudoc
DOAJ

Principal OEI