Alfabetizar letrando

  • Cássia Ravena Mulin de Assis Medel

Resumen

Na etapa inicial, isto é, na Educação Infantil, a escola tem a obrigação de ajudar o aluno a se apropriar da escrita alfabética e a informatizar o seu uso.


Para realizar essa tarefa, o professor não deve deixar o aluno se esforçar sozinho para entender “por que motivo coisas que se falam de uma forma parecida tendem a ser escritas de modo parecido”O professor deve ajudar o aluno a refletir sobre palavras retiradas de textos lidos (além de outras que são significativas para o aluno). É essencial praticar a leitura e a escrita no cotidiano escolar “trabalhar com palavras”, propiciar aos alunos a oportunidade de refletir sobre elas, montá-las e desmontá-las.


Nessas ocasiões, mesmo ainda sem saber ler convencionalmente, os alunos poderão se apoderar de algumas estratégias de leitura: estratégias de antecipação, de checagem de hipóteses, de comparação, entre outras (utilizadas por um cidadão letrado. Explorando e também produzindo textos observados pelo professor ou por outro aluno já “alfabetizado”). Assim os alunos estarão desenvolvendo conhecimentos sobre a linguagem que se utiliza nos textos que se encontram na sociedade letrada.


Com base nos estudos e pesquisas de hoje em dia, “Alfabetizar letrando” requer: democratizar a vivência de práticas de uso da leitura e da escrita e ajudar o aluno a reconstruir essa invenção social que é a escrita alfabética, ativamente.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Cómo citar

Mulin de Assis Medel, C. R. (2008). Alfabetizar letrando. Revista Iberoamericana De Educación, 46(3), 1-3. https://doi.org/10.35362/rie4631987
Publicado
2008-05-08
Sección
- Columna de opinión