Instrumento para medir o clima entre professores de programas de pós-graduação

  • Angélica Balconi Moro Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil
  • Vânia Medianeira Flores Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil
  • Laércio André Gassen Balsan Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil
  • Luis Felipe Dias Lopes Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil
  • Maria Rosa Chitolina Schetinger Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil
Palabras clave: Instituição de ensino superior, programas de pós-graduação, professores, clima organizacional.

Resumen

O objetivo deste artigo é adaptar e validar um conjunto de componentes e seus respectivos indicadores com a finalidade de compor as categorias de análise do clima organizacional, para professores de Programas de Pós-Graduação (PPG) de uma Instituição de Ensino Superior (IES). Participaram da amostra, 52 professores de quatro PPGs de uma Instituição Pública de Ensino Superior. Para o desenvolvimento deste estudo, foi utilizado um questionário que passou por uma avaliação de adequabilidade e, depois, submetido à validação semântica e de conteúdo através de uma avaliação por três especialistas, pesquisadores da área. Após o levantamento dos dados, foram realizadas análises descritivas, fatoriais, rotação ortogonal varimax com normalização e cálculos de confiabilidade. A partir da análise e da reestruturação dos componentes e indicadores, validou-se um modelo de análise de clima organizacional para os professores do ensino superior.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Arroteia, J. C (2000). Aspectos da avaliação do ensino superior. Revista Portuguesa de Educação, 13 (2), 111- 123.

Capes (2012). Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino. Avaliação da pós-graduação. Recuperado em 19 de maio, 2012 de http://www.capes.gov.br/avaliacao/avaliacao-da-pos-graduacao.

Cooper, D. R., e Schindler, P. S (2011). Métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2011.

Ferrer, A. T (1999). La Evaluación y la calidad: dos cuestiones sometidas a discusión. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, 7 (22), 25- 46.

Gil, A. C (2010). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2010.

Hair, J. JR. et al (2005). Fundamentos de Métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Hoffmann, R. C., e Leal, W. V (2009). Pesquisa de clima organizacional aplicada a Instituições de Ensino Superior. Anais do Congresso Internacional de Educação de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR, Brasil.

Luz. R (2003). Gestão do Clima Organizacional: Proposta de critérios para metodologia de diagnóstico, mensuração e melhoria. Estudo de caso em organizações nacionais e multinacionais localizadas na cidade do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal Fluminense, Brasil.

Maccari, E. A. (2008). Contribuição a gestão dos programas de pós-graduação Stricto sensu em Administração no Brasil com Base nos Sistemas de Avaliação Norte Americano e Brasileiro. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, Brasil.

Malhotra, N. F. N (2006). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman.

González, M. M, e Maldonado, I. P (2007). Gestión del clima organizacional: una acción deseable en la Universidad. Laurus, 13 (24), 290- 304.

Nascimento, L. F (2010). Modelo CAPES de avaliação: Quais as consequências para o triênio 2010-2012? Resista Angrad. 11 (4), 579-600.

Rizzatti. G (2002). Categorias de análise de clima organizacional em Universidades Federais Brasileiras. Tese de Doutorado, Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Maria, Florianópolis, Brasil.

Rodrigues, C. M. C (2003). Proposta de Avaliação Integrada ao Planejamento Anual: Um Modelo para as UCGs. Tese de Doutorado, Engenharia de Produção, Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil.

Silva, J. C (2001). O Exame Nacional de Cursos: a utilização de resultados por instituições do Distrito Federal. Dissertação de mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, Brasil..

Silva, N. T (2003). Clima organizacional: uma proposta dos fatores a serem utilizados para avaliação do clima de uma Instituição de Ensino Superior. Dissertação de Mestrado, Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil.

Souza, J. P. d., e Pereira, L. B (2002). Pós-Graduação no Brasil: análise do processo de concentração. Acta Scientiarum, 24 (1), 159-166.
Publicado
2015-03-15
Cómo citar
Balconi Moro, A., Medianeira Flores, V., Gassen Balsan, L. A., Dias Lopes, L. F., & Chitolina Schetinger, M. R. (2015). Instrumento para medir o clima entre professores de programas de pós-graduação. Revista Iberoamericana De Educación, 67(2), 53-66. https://doi.org/10.35362/rie672229
Sección
- Evaluación