Fontes de Capital Social e a Educação para a Sustentabilidade: uma articulação promissora

  • Paola Schmitt Figueiró Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Brasil
  • Tania Nunes da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Brasil
Palabras clave: Capital Social, Educação, Sustentabilidade, Conscientização, Engajamento

Resumen

Afirmar que a sociedade está vivendo o despertar da consciência socioambiental é arriscado, mas o número de ações e pactos neste cenário mostra-se cada vez maior. Neste contexto, identifica-se a importância de projetos e ações que visem o engajamento e a conscientização socioambiental por parte dos jovens, para que atuem como multiplicadores. Assim, este estudo tem como objetivo identificar aspectos relevantes para a execução e sucesso de projetos e ações que visem o engajamento e conscientização socioambiental de jovens. Para tanto, analisou-se uma equipe de universitários, participante da gincana “Impacto Zero” promovida no Brasil, em 2011, pela SWU (Starts With You) e outros parceiros. Trata-se de um estudo de caso, a partir de observação participante e entrevistas em profundidade com integrantes da equipe: estudantes, professor coordenador e equipe de apoio. Os resultados apontam diversas fontes de Capital Social presentes na atividade proposta, como a identidade dos membros com o tema Sustentabilidade, a solidariedade por parte da comunidade em ajudar a equipe, os esforços por parte da organização, a formação de novas redes, além da interação e associação entre redes já existentes. Portanto, associar Capital Social e Educação para a Sustentabilidade pode representar uma base sólida para promover conscientização socioambiental.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Araujo, M. C. S. (2003). Capital Social.Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Chang, S.-C.,Tein, S.-W.,e Lee, H.-M.(2010). Social capital, creativity, and new product advantage: an empirical study.International Journal of Electronic Business Management, 8(1), 43-55.

Coleman, J.S. (1988). Social Capital in the Creation of Human Capital. The American Journal of Sociology.Supplement: Organizations and Institutions: Sociological and Economic Approaches to the Analysis of Social Structure,94, S95-S120.

DOU. Diário Oficial da União. Conselho Nacional de Educação, 18 Jun 2012. Resolução nº2 de 15 de Junho de 2012. DiretrizesCurriculares Nacionais para a Educação Ambiental.

Freire, A. M. (2007). Educação para a Sustentabilidade: Implicações para o Currículo Escolar e para a Formação de Professores. Pesquisa em Educação Ambiental,2(1), 141-154.

Freitas, M. (2005). Educação para o Desenvolvimento Sustentável: sugestões para a sua implementação no âmbito da década das Nações Unidas. Actas do VIII Congresso Galaico Português de …, -educacion.udc.es.

Grootaert, C. et al. (2003). Questionário integrado para medir CapitalSocial (QI –MCS). Banco Mundial.Grupo Temático sobre Capital Social.Recuperadoem15 Janeiro, 2012, de http://www.contentdigital.com.br

Hargreaves, A. (2004). O ensino na sociedade do conhecimento: educação na era da insegurança. Porto Alegre: Artmed.

Hopkins, C., eMckeown R. (2002). Education for sustainable development: an international perspective. InTilbury, D. et al. (Ed.) Education and sustainability: responding to the global challenge. Switzerland: CEC/ IUCN, 13-24.

Jacobi, P. R., Raufflet, E., eArruda, M. P.de(2011). Educação para a Sustentabilidade nos Cursos de Administração: reflexão sobre paradigmas e práticas. RAM, Revista de Administração Mackenzie, 12(3), Ed. Especial, São Paulo, SP.

Marteleto, R. M.,e Silva, A. B. de O. (2004). Redes e Capital Social: o enfoque da informação para o desenvolvimento local. Revista Ciência da Informação, Brasília, 33(3), 41-49.

Milani, C.(2003, outubro). Teorias do Capital Social e Desenvolvimento Local: lições a partir da experiência de Pintadas (Bahia, Brasil). IV Conferência Regional ISTR-LAC, San José, Costa Rica.

Nahapiet, J., eGhoshal, S. (1998). Social capital, intellectual capital, and the organizationadvantage.Academy of Management Review,23, 242-266.

Palmer, J. A. (2003). Environmental education in the 21st century: theory, practice, progress and promise.Ed: Taylor e Francis e-Library.

Portes, A.(1998). Social Capital: Its Origins and Applications in Modern Sociology. Annual Review of Sociology, 24.

Reis, B. P. W.(2003). Capital Social e Confiança: questões de teoria e método.Revista Sociologia Política, 21, 35-49.

Robinson, D. (org.)(2002). Building Social Capital. Wellington (Nova Zelândia): Institute of Policy Studies, 85p.

Santos, S., Santos, E.,Ennes, C.,e Pedde, V. (2011). Políticas Públicas e Capital Social em duas cidades latino-americanas. Revista Debates, Porto Alegre, 5(1), 25-45.

Sen, A., eKliksberg, B. (2007). Primero la Gente. Barcelona: Ediciones Deusto.

UN. The Future We Want. Rio de Janeiro, Jun. 19th 2012. Recuperado em21 Junho, 2012, http://www.uncsd2012.org/content/documents/727The%20Future%20We%20Want%2019%20June%201230pm.pdf

UNESCO. Década da Educação das Nações Unidas para um Desenvolvimento Sustentável, 2005-2014: documentofinal do esquema internacional de implementação. Brasília: UNESCO, 2005, 120p.

Cómo citar

Schmitt Figueiró, P., & Nunes da Silva, T. (2014). Fontes de Capital Social e a Educação para a Sustentabilidade: uma articulação promissora. Revista Iberoamericana De Educación, 66(1), 1-15. https://doi.org/10.35362/rie661291
Publicado
2014-09-15
Sección
- Educación ambiental
Bookmark and Share