A construção discursiva sobre o ensino superior público em editoriais de jornais de referência no Brasil

Resumen

O propósito deste artigo é investigar a construção discursiva sobre o ensino superior público no Brasil, em dois editoriais de jornais de referência do país. O foco da análise se concentra nos posicionamentos valorativos e na argumentatividade que o projeto de dizer do editorialista expressa. Tomando como respaldo teórico-metodológico ideias do denominado Círculo de Bakhtin (Bakhtin, 2011, 2016; Volóchinov, 2017) e contribuições da Nova Retórica, de Perelman e Olbrechts-Tyteca (2014), este trabalho examina um corpus constituído por dois editoriais recortados das páginas on-line dos jornais O Globo e Folha de S. Paulo. A análise realizada aponta que a construção discursiva, nos dois editoriais examinados, se caracteriza por um fazer persuasivo e axiologicamente valorado em que os enunciadores mobilizam, para o convencimento do leitor, uma diversidade de mecanismos discursivos e estratégias argumentativas que procuram acentuar argumentos favoráveis ao pagamento de mensalidades nas universidades públicas brasileiras. Assim, os posicionamentos assumidos pelos editorialistas, na medida em que se alinham aos discursos de defensores da redução do estado e de maior participação do mercado na educação superior do Brasil, significam, no final das contas, um mecanismo de exclusão dos mais pobres e da classe média do direito ao ensino superior público e totalmente gratuito.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Alencar, E; Faria, G. (2014). Tópicos discursivos e argumentação nos textos escolares. In: V. M. Elias (Org.). Ensino de Língua Portuguesa: oralidade, escrita e leitura. São Paulo: Contexto, p. 145-157.

Bakhtin, M. (2011). Estética da criação verbal. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes.

Bakhtin, M. (2016). Os gêneros do discurso. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34.

Bessa, J. C. R. (2016). Dialogismo e construção da voz autoral na escrita do texto científico de jovens pesquisadores. (Tese de Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras – Unesp/Araraquara.

Brait, B. (2016). Análise e teoria do discurso. In: B. Brait (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. 2. ed. São Paulo: Contexto, p. 9-31.

Fávero, A. A.; Bechi, D. (2017). O financiamento da educação superior no limiar do século XXI: o caminho da mercantilização da educação. Revista Internacional de Educação Superior, 3(1), 90-113.

Fiorin, J. L. (2016). Argumentação. São Paulo: Contexto.

Folha de São Paulo. (2017). Quem paga pelo ensino. São Paulo: Grupo Folha, [2017]. Disponível em: https://bit.ly/2WHcAHa

Laville, C.; Dionne, J. (1999). A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Tradução de Heloísa Monteiro e Francisco Settineri. Portalegre: Artes Médicas, Sul Ltda.

Melo, J. M; Assis, F. (2016). Gêneros e formatos jornalísticos: um modelo classificatório, Intercom – RBCC, São Paulo, 39(1), 39-56. Disponível em: https://bit.ly/2RQcTMu

Melo, J. M. (2003). Jornalismo opinativo: gêneros opinativos no jornalismo brasileiro. 3. ed. Campos do Jordão: Mantiqueira.

Nascimento, E. P. (2010). Gêneros jornalísticos na sala de aula: desenvolvendo habilidades leitoras. In: R. C. M Pereira (Org.) Ações de linguagem: da formação continuada à sala de aula. João Pessoa. Editora Universitária da UFPB, pp. 56-87

O Globo. (2017). Crise na Uerj reacende debate sobre universidade gratuita. São Paulo: [2017]. Disponivel em: https://glo.bo/2Gbp9pc

Perelman, C; Olbrechts-Tyteca, L. (2014). Tratado de argumentação: a nova retórica. Tradução de M. E. A. P. GALVÃO. São Paulo: Martins Fontes.

Ponzio, A. (2008). A revolução bakhtinana: o pensamento de Bakhtin e a ideologia contemporânea. Tradução coordenada por Valdemir Miotello. São Paulo: Contexto.

Souza, G. S. (2003). O Nordeste na mídia: um (des)encontro de sentidos. 398f. (Tese de Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras – Unesp/Araraquara.

Sudbrack, E. M.; Nogaro, A. (2017). Por uma universidade para o mercado ou para todos. Revista Internacional de Educação Superior, 3(2), 417-431.

Veloso, S. R. de A. (2014). A responsividade do leitor no gênero carta do leitor na mídia impressa de referência: análise de polêmicas discursivas na perspectiva bakhtiniana. Filologia e Linguística Portuguesa, 15 (1), 565-594.

Volóchinov, V. (2017). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico da linguagem. Tradução de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34.
Publicado
2019-02-15
Cómo citar
Bessa, J. C., & Oliveira, J. (2019). A construção discursiva sobre o ensino superior público em editoriais de jornais de referência no Brasil. Revista Iberoamericana De Educación, 79(2). Recuperado a partir de https://rieoei.org/RIE/article/view/3277
Sección
Otros Temas (investigaciones)