La producción de conocimiento sobre el aula invertida en la enseñanza de la Física: una mirada a los cursos de postgrado brasileños

Palabras clave: aula invertida; estado del arte; metodologías activas; enseñanza de la física; posgrado; flipped classroom

Resumen

La aparición de metodologías activas en el contexto de la educación básica y superior ha transformado gradualmente la realidad educativa. En estas, el papel de los alumnos se acentúa aún más invirtiendo la lógica de transmisión de conocimientos de la enseñanza tradicional. Es en este contexto en el que el presente trabajo trata de comprender los avances en la investigación sobre el Aula Invertida (AII) en la enseñanza de la física en Brasil. Para ello, se realizó una búsqueda en el Catálogo de Tesis y Disertaciones de Capes, obteniendo doce textos que abordaban dicha estrategia. Los trabajos se analizaron según el análisis de contenido de Bardin (2002) y con la ayuda del software de análisis textual Iramuteq 0.7 alpha 2. Los resultados muestran una concentración de investigaciones en los posgrados de maestrías profesionales, con énfasis en la educación secundaria y concentrada en las regiones del Sur y del Sudeste. Sobre el contenido de las disertaciones se percibe que hay una marcada tendencia en investigaciones de intervención pedagógica con énfasis en dos grupos de interés: uno que apunta a comprender la enseñanza, y otro que apunta a comprender el aprendizaje basado en estrategias.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

José Diego Silva Gomes, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Brasil

Licenciado em F´ísica (UECE) e Mestrando em Física (UERN)

Albano Oliveira Nunes, Universidade Federal do Ceará (UFC), Brasil

Pós-Doutor em Ensino pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (PNPD-CAPES-UERN-CAMEAM); Doutor em Engenharia de Teleinformática pela Universidade Federal do Ceará (UFC); Mestre em Ensino de Ciências Naturais e Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Especialista em Gestão Escolar pela Universidade Estadual de Santa Catarina/Universidade Estadual do Ceará (UDESC/UECE); Licenciado em Física pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Professor na E.E.E.P. Elsa Maria Porto Costa Lima (SEDUC-CE). Professor da Faculdade do Vale do Jaguaribe (FVJ). Professor Colaborador do Programa de Mestrado Profissional em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior (POLEDUC/UFC).

Citas

Almeida, L. M. B. de (2018). Levantamento dos requisitos de uma ferramenta computacional de apoio à sala de aula invertida (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal Rural do Semi-Árido; Universidade do Estado do Rio Grande do Norte; Instituto Federal do Rio Grande do Norte, Mossoró, Brasil).

Apolinário, F. (2016). Metodologia da Ciência: filosofia e prática da pesquisa. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning.

Araújo, J. C. (2019). A metodologia da sala de aula invertida aplicada ao estudo da óptica geométrica para o ensino médio. (Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, Brasil)

Aşıksoy, G. (2018). The effects of the gamified flipped classroom environment (GFCE) on students’ motivation, learning achievements and perception in a physics course. Quality & Quantity, 52(S1), 129-145.

Aşiksoy, G. & Özdamli, F. (2015). Flipped Classroom adapted to the ARCS Model of Motivation and applied to a Physics Course. Eurasia Journal of Mathematics, Science & Technology Education, 12, 1589-1603.

Bacich, L. & Moran, J. (2018). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre, Brasil: Penso Editora.

Baker, J.W. (2015b). The classroom flip: Using web course management tools to become the guide by the side. https://bit.ly/3ChgzyB; https://bit.ly/3pq1x5Q

Barbosa, P. C. P. (2016). Movimento circular uniforme: aprendizagem pelo modelo da sala de aula invertida (flipped classroom). Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Brasil) https://bit.ly/2ZdNllL

Bardin, L. (2002). Análise de conteúdo. Lisboa Edições 70.

Berbel, N. (2011). As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 32(1), 25-40.

Bergmann, J. & Sams, A. (2016). Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. (Tradução Afonso Celso da Cunha Serra). 1ª ed., Rio de Janeiro, Brasil: LTC.

Camargo, B., Justo, A., (2013). IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em Psicologia, 21(2), 513-518.

Confortin, C. K. Cl. (2019). Sala de aula invertida com experimentação no ensino da óptica na educação básica (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande, Santo Antônio da Patrulha, Brasil)

Cuesta-Beltrán, Y. (2018). Estado del arte: tendencias en la enseñanza de la física cuántica entre 1986 y 2016. Tecné Episteme y Didaxis: TED, 44, 11-17.

Damiani, M. F., Rochefort, R. S., de Castro, R. F., Dariz, M. R. & Pinheiro, S. S. (2013). Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Cadernos de Educação, 45(1), 57-67.

Deponti, M. A. M. & Bulegon, A. M. (2018). Uma revisão de literatura sobre o uso da metodologia sala de aula invertida para o ensino de física. Vidya, 38(2), 103-118.

Filho, R. B. dos S. (2019). Uma proposta metodológica para o ensino de conceitos de física mediada por técnicas do judô e a sala de aula invertida (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, Brasil)

Fisch, K. (2010, April 19). Transparent algebra: Homework [Blog post]. https://bit.ly/3BdTyeB

França, S. & Siqueira, M. (2019). Propostas didáticas no ensino de física para deficientes visuais: análise de trabalhos em periódicos e eventos nacionais (2000 -2018). Lat. Am. J. Phys. Educ, 13(4), 1–8.

Freitas, A. & Pires, C. (2015). Estado da Arte em educação matemática na EJA: percursos de uma investigação. Ciência & Educação, 21(3), 637-654.

Freitas, V. J. de (2015). A percepção dos alunos da 1ª série do ensino médio da utilização do método da flipped classroom no ensino de física (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, Brasil)

Gomes, A. L., Brettas, A. C. F. & Marques, W. (2020). A Sala de aula invertida na pós-graduação brasileira: uma análise das produções entre 2015 e 2019. Research, Society and Development, 9(12), e28991211192-e28991211192.

Gonçalves, S. A. (2019). Uso de vídeos do Youtube e da sala de aula invertida para o ensino do efeito fotoelétrico (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, Brasil)

Kubo, O. & Botomé, S. (2001). Ensino-aprendizagem: uma interação entre dois processos comportamentais. Interação em Psicologia, 5(1). https://doi.org/10.5380/psi.v5i1.3321

Macêdo, J., Pedroso, L., Voelzke, M. & Araújo, M. (2014). Levantamento das abordagens e tendências dos trabalhos sobre as Tecnologias de Informação e Comunicação apresentados no XIX Simpósio Nacional de Ensino de Física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 31(1), 11-25.

Mazur, E. (2015). Peer instruction: a revolução da aprendizagem ativa. Bookman.

Morán, J. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas. Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, 2(1), 15-33.

Morettin, L. G. (2010). Estatística básica: probabilidade e inferência. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Nunes, A., Dantas, J., Oliveira, Ó. & Hussein, F., (2016). Revisão no Campo: O Processo de Ensino-Aprendizagem dos Conceitos Ácido e Base entre 1980 e 2014. Química Nova na Escola, 38(2), 185-196.

Oliveira, T. (2016). Sala de aula invertida (flipped classroom): Inovando as aulas de física. Física na Escola, 14(2), 4-13.

Pastorio, D. P. (2018). Processos avaliativos reflexivos integrados a tarefas contínuas no âmbito do ensino superior em física (Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Brasil).

Rezende, F., Ostermann, F. & Ferraz, G., (2009). Ensino-aprendizagem de física no nível médio: o estado da arte da produção acadêmica no século XXI. Revista Brasileira de Ensino de Física, 31(1), 1–8.

Richter, S. S. (2017). Sequência de atividades didáticas para uma abordagem fenomenológica da ondulatória em uma perspectiva de sala de aula invertida (Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Brasil)

Romanowski, J. & Ens, R., (2006). As pesquisas denominadas do tipo “Estado da Arte”. Diálogos Educacionais, 6(6), 37–50.

Santos, S. C. do E. (2017). Dispositivo eletrônico semicondutor led: uma abordagem baseada em unidade de ensino potencialmente significativa (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Abc, Santo André, Brasil)

Şengel, E. (2014). Using the ‘flipped classroom‘ to enhance physics achievement of the prospective teacher impact of flipped classroom model on physics course. Journal of the Balkan Tribological Association, 20(3), 488–497.

Souza, F. C. S., Nunes, A. O. & Oliveira, M. A. (2020). O programa de pós-graduação em educação profissional e tecnológica e a formação humana integral: análise da produção acadêmica no IFRN/Mossoró. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, 2(19), https://doi.org/10.15628/rbept.2020.11629.

Suhr, I. (2016). Desafios no uso da sala de aula invertida no ensino superior. Revista Transmutare, 1(1), 4-21.

Teixeira, P. M. M. & Neto, J. M. (2012). O estado da arte da pesquisa em ensino de Biologia no Brasil: um panorama baseado na análise de dissertações e teses. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 11(1). https://bit.ly/3E5jL0m

Tomanik, M. (2015). O uso do software modellus na formação incial de licenciandos em física dentro da abordagem metodológica da sala de aula invertida (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, Brasil)

Tripp, D., (2005). Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, 31(3), 443-466.

Valério, M. & Beleti, C. R. (2019). Caracterização da produção acadêmica brasileira sobre a sala de aula invertida. Revista Actio, 4(3), 17-34.

Vega, L. F. L. (2018). Sequência didática híbrida com mediação digital para o ensino de óptica física e informação quântica no ensino médio (Dissertação de Mestrado, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, Brasil).

Walter-Perez, N. & Dong, J. (2012). Flipping the classroom: How to embed inquiry and design projects into a digital engineering lecture, in Proceedings of the American Society for Engineering Education (ASEE) PSW Section Conference. San Luis Obispo, CA. https://bit.ly/3vxRtJ4

Cómo citar

Silva Gomes, J. D., Oliveira Nunes, A., & Oliveira Nunes, A. (2021). La producción de conocimiento sobre el aula invertida en la enseñanza de la Física: una mirada a los cursos de postgrado brasileños. Revista Iberoamericana De Educación, 87(2), 123-138. https://doi.org/10.35362/rie8724577
Publicado
2021-11-15
Sección
Educación Científica. Nuevas metodologías para una sociedad cambiante
Bookmark and Share