La emergencia climática en la enseñanza de las ciencias: los conocimientos necesarios para una propuesta de trabajo pedagógico por medio de la educomunicación científica

Palabras clave: complejidad; educación ambiental; educomunicación; metodología; cambio climático

Resumen

Este artículo se incluye en el ámbito de la Educación Ambiental, centrándose en la reflexión de los aspectos metodológicos que implican la inclusión de la emergencia climática en la enseñanza de las ciencias. El estudio se sumerge en el análisis de las posibles congruencias entre las ideas de Edgar Morin, más concretamente en su obra “Los siete saberes necesarios para la educación del futuro” y la problematización de la crisis climática en el contexto escolar, a partir de la siguiente pregunta: ¿Cuáles son los temas clave a priorizar en la enseñanza de las ciencias para hacer frente a la emergencia climática? A partir de este estudio, proponemos “Los conocimientos necesarios para la educación sobre la crisis climática”: la ceguera y el conocimiento pertinente de la emergencia climática; la complejidad humana y ambiental; las incertidumbres sobre la crisis climática; y la identidad, la ética y la comprensión de la Tierra, necesidades urgentes para mitigar la crisis climática. En cuanto a la perspectiva metodológica, presentamos la “educomunicación científica” como una propuesta capaz de ayudar a los profesores a afrontar el problema con los alumnos. Pretendemos presentar una contribución oportuna al campo de la Educación Ambiental y la Educación para la Emergencia Climática, especialmente en lo que respecta al potencial del pensamiento complejo para un enfoque transdisciplinario del cambio climático

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Artaxo, P. e Coutinho, S. M. V. (2015). Complexidade científica das mudanças climáticas e os acordos internacionais. In: Pedro Roberto Jacobi; E. G.; et al. (Org.). Temas atuais em mudanças climáticas: para os ensinos fundamental e médio (pp.7-11). Sao Paulo: Editora da USP.

Antônio, J. M., Kataoka, A. M. e Neumann, P. (2019). Macro-Trends in Brazilian Environmental Education: some reflections based on Morin’s theory of complexity. Pesquisa em Educação Ambiental, Ahead of Print, 43-56. https://doi.org/10.18675/2177-580X.2019-14287

Brasil. (2012). Resolução nº 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Resolução n.º 2, de 15 de junho de 2012 – Semesp. Disponível em https://bit.ly/3zuvpAg

Carvalho, I. C. de M. (2020). A pesquisa em educação ambiental: perspectivas e enfrentamentos. Pesquisa em Educação Ambiental, 15(1), 39-50. Disponível em https://bit.ly/3DmEKfI

Costa, F. A. M. (Org.) (2008). Educomunicação socioambiental: comunicação popular e educação. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2008. 50p. Disponível em https://bit.ly/3DtecJIf.

França, E., Kataoka, A. M., Suriani-Affonso, A. L. e Crisostimo, A. L. (2019). Educomunicação socioambiental: produção de peças educomunicativas como metodologia de ensino para a Educação Ambiental. Práxis, 11(21), 9-20.

González-Gaudiano, E. e Meira-Cartea, P. Á. (2020). Educación para el cambio climático: ¿Educar sobre el clima o para el cambio? Perfiles Educativos, 42(168), 1-18. https://doi.org/10.22201/iisue.24486167e.2020.168.59464

González-Gaudiano, E., Meira-Cartea, P.Á. e Gutiérrez-Pérez, J. (2020). ¿Cómo educar sobre la complejidad de la crisis climática? Hacia un currículum de emergencia. Revista Mexicana de Investigación Educativa, (25)87, 843-872. Disponível em https://bit.ly/3jqka67

Guimarães, M. e Meira-Cartea, P. Á. (2020). Há Rota de Fuga para Alguns, ou Somos Todos Vulneráveis? A Radicalidade da Crise e a Educação Ambiental. Ensino, Saúde e Ambiente – Número Especial, 21-43. https://doi.org/10.22409/resa2020.v0i0.a40331

Jacobi, P. R., Guerra, A. F. S., Sulaiman, S. N. e Nepomuceno, T. (2011). Mudanças climáticas globais: a resposta da educação. Revista Brasileira de Educação, 16(46), 135-269. https://doi.org/10.1590/S1413-24782011000100008

Layrargues, P. P. e Lima, G. F. da C. (2014). As macrotendências político-pedagógicas da educação ambiental brasileira. Ambiente & Sociedad 17(1), 23-40. https://doi.org/10.1590/S1414-753X20140001000003

Lima, G. F. da C. e Layrargues, P. P. (2014). Mudanças climáticas, educação e meio ambiente: para além do Conservadorismo Dinâmico. Educar em Revista, Edição Especial(3), 73-88. https://doi.org/10.1590/0104-4060.38108

Liotti, L. C. e Torales-Campos, M. A. (2021). Livros Didáticos do Ensino Médio e o Conhecimento Escolar Sobre Mudanças Climáticas. Revbea, São Paulo, 16(2), 19-36.

Meira-Cartea, P. Á. (2009). Outra lectura da historia da Educación Ambiental e algún apuntamento sobre a crise do presente. AmbientalMente Sustentable, 4(8).

Mendonça, F. de A. (2021). Mudanças Climáticas Globais: Controvérsias, Participação Brasileira e Desafios à Ciência. Revista Humboldt, 1(2), 1-28. Disponível em https://bit.ly/3sXpGQU

Moraes, M. C. (2016). Saberes para uma cidadania planetária. UNESCO, Governo do estado do Ceará, UECE e UCB. Anais... Fortaleza/Ceará, 24 a 27 de maio de 2016.

Morin, E. (1990). Introdução ao Pensamento Complexo. ESF editora: Paris.

Morin, E. (2000). Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez.

Morin, E. (2011). Para um Pensamento do Sul. In: Encontro Internacional para um pensamento do Sul, 2011, Rio de Janeiro, RJ, Anais... Rio de Janeiro: SESC, Departamento Nacional, 20-35.

Morin, E. (2013). A via para o futuro da humanidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Moser, A. de S. e Moreira, A. L. O. R. (2020). Peças educomunicativas socioambientais: experiência de um processo de formação continuada em educação ambiental. ACTIO: Docência em Ciências, 5(2), 1-22. https://doi.org/10.3895/actio.v5n2.11624

Orozco-Gomez, G. (2002). Comunicação, Educação e Novas Tecnologias: Tríade Do Século XXI. Comunicação & Educação, 23, 57-70. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v0i23p57-70

Petraglia, I. C., Arone, M., Fernandes, C. A. V., Fernandes, M. S. e Pena-Vega, A. (2016a). Saberes pertinentes sobre as mudanças climáticas para uma cidadania planetária. In: Dias, E. T. D. M. (Org.). E-Book-Compartilhando Saberes Psicológicos, Filosóficos e Educacionais. (pp. 53-61). Jundiai: Paco.

Petraglia, I., Fernandes, M. S., Pena-Veg, A. e Rosini, A. M. (2016b). Mudanças Climáticas Na Visão De Estudantes Do Ensino Médio De Escolas Da Cidade De São Paulo, Brasil. Revista Científica Hermes, 16, 223-245. https://doi.org/10.21710/rch.v16i0.295

Reis, D. A. dos., Silva, L. F. e Figueiredo, N. (2015). As Complexidades Inerentes Ao Tema “Mudanças Climáticas”: Desafios E Perspectivas Para O Ensino De Física. Revista Ensaio, 17(3), 535-554. https://doi.org/10.1590/1983-21172015170301

Sá, C. P. (1996). Representações sociais: o conceito e o estado atual da teoria. In: M. D. Spink (Org.). O conhecimento no cotidiano: as representações sociais na perspectiva da psicologia social. (pp. 19-45). São Paulo: Brasiliense.

Saheb, D. (2015). Os sete saberes necessários à educação do futuro e a Educação Ambiental na formação de professores: uma discussão à luz das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental (2012). Pesquisa em Educação Ambiental, 10(1), 57-69.

Saheb, D. e Rodrigues, D.G. (2017). A contribuição da Complexidade para as pesquisas em Educação Ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. Especial, 191-207.

Schutz, J. P. e Torales-Campos, M. A. (2018). Reflexões acerca da complexidade no processo educativo: a Educação Ambiental escolar em questão. Educação Ambiental em Ação, v. 64(s/n), 1-15.

Serantes-Pazos, A. e Meira-Cartea, P. Á. (2016). Libros de texto, curriculum y docencia: cómo se aborda el cambio climático en la Secundaria Obligatoria. In: 1.º Encontro Internacional de Formação na Docência (INCTE). Anais... Bragança.

Soares, I. O. (2000). Educomunicação: um campo de mediações. Comunicação & Educação,19, 12-24. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v0i19p12-24

Soares, I. O. (2011). Educomunicação: o conceito, o profissional, a aplicação. São Paulo: Paulinas.

Trevisol, J. V. (2003). A educação em uma sociedade de risco: tarefas e desafios na construção da sustentabilidade. Joaçaba: UNOESC.

Cómo citar

Moser, A. de S., Saheb Pedroso, D., Massaê Kataoka, A., & Andrade Torales-Campos, M. (2021). La emergencia climática en la enseñanza de las ciencias: los conocimientos necesarios para una propuesta de trabajo pedagógico por medio de la educomunicación científica. Revista Iberoamericana De Educación, 87(1), 155-171. https://doi.org/10.35362/rie8714628
Publicado
2021-09-09
Sección
Educación Científica. Nuevas metodologías para una sociedad cambiante
Bookmark and Share