Pensar la universidad: una mirada desde la extensión popular

  • Tiago Zanquêta de Souza Universidade de Uberaba (UNIUBE), Brasil
  • Maria Waldenez de Oliveira Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Brasil
Palabras clave: práctica social; extensión popular; educación popular

Resumen

Este artículo es fruto de un proyecto de investigación doctoral en educación, en fase de finalización, que tiene como práctica social la Extensión Popular en Educación Ambiental, desarrollada por un grupo extensionista constituido por siete personas, seis de ellos estudiantes del curso de Ingeniería Ambiental de una universidad privada de Minas Gerais y por el investigador, profesor del mismo curso. El referencial teórico, de este artículo, está vinculado al de la Educación Popular y de la Extensión Popular. Tiene como objetivo aportar una reflexión en torno al papel / función social de la universidad desde la extensión popular, aquí abordada como práctica social. El método de la investigación que da origen a este artículo es descriptivo cualitativo, ya que expone las características de una población o fenómeno en concreto en cuanto a los medios para la obtención de datos de la investigación de campo. En el análisis de los datos se ha utilizado el análisis de contenido de los cuadernos diarios de campo. La estructura que se ha dado al artículo es la siguiente: además de las consideraciones introductorias, en torno a lo que será discutido, se describe de manera breve la historia de la extensión universitaria en Brasil, acompañada de reflexiones sobre el equívoco gnoseológico en cuanto al término extensión; en cuanto a la extensión popular como práctica social; y, por último, en cuanto al papel/función social de la universidad, desde la extensión popular.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor

Tiago Zanquêta de Souza, Universidade de Uberaba (UNIUBE), Brasil

Professor do Departamento de Educação e Engenharia, UNIUBE. Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos/São Paulo/Brasil.

Maria Waldenez de Oliveira, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Brasil

professora do Departamento de Metodologia de Ensino e de Programa de Pós-graduação em Educação. Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos/São Paulo/ Brasil.

Citas

Almeida, Cleide Rita Silvério; Oliva, Vagner José (2004). A Extensão Universitária como Atividade Fim. In. Interagir: Pensando o Extensão, Rio de Janeiro, n. 5, p. 27-36, jan./jun..

Bardin, L. (2006). Análise de conteúdo. In. L. de A. Rego & A. Pinheiro (Trads.). Lisboa: Edições 70, (Obra original publicada em 1977).

Bogdan, Roberto; Biklen, Sari (1994). Notas de Campo. In: Bogdan, Roberto; Biklen, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, p.150-175.

Botomé, Sílvio Paulo (1996). Pesquisa Alienada e Ensino Alienante: o equívoco da extensão universitária. Petrópolis/RJ: Vozes; São Carlos-SP: EDUFSCAR; Caxias do Sul - RS: EDUCS,.

Cota, Maria Célia (2000). De Professores e carpinteiros: encontros e desencontros entre teoria e prática na construção da prática profissional. Educação e Filosofia, v. 14, n° 27/28, p. 203-222.

Cruz, Pedro José Santos Carneiro (2011). Extensão Popular: A Reinvenção da Universidade. In. Vasconcelos, Eymard Mourão; Cruz, Pedro José Santos Carneiro. (org). Educação popular na formação universitária: reflexões com base em uma experiência. São Paulo: Hucitec; João Pessoa: Editora Universitária da UFPB.

Duarte, Júlio César P. Extensão Universitária: função própria ou filosofia de ação da universidade? Disponível em . Acesso em 19 Set. 2016.

Fernandes, Florestan (2015). Poder e contrapoder na América Latina. 2.ed. São Paulo: Expressão Popular.

Freire, Paulo (2006). Pedagogia da esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. 6.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, Paulo (2008). Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, Paulo (2015). Extensão ou comunicação. 17.ed. São Paulo: Paz e Terra.

Leff, Enrique. Epistemologia Ambiental. 5.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

Melo Neto, José Francisco de (2005). Extensão popular – valores éticos para uma cultura política pela extensão universitária. In. VIII Congresso Ibero-Americano de extensão universitária. Navegar é preciso... Transformar é possível. [evento na internet]. 2005; Rio de Janeiro, Brasil. [Acesso em 02 de Nov. 2014].

Mesquita Filho, Alberto (1997). Integração ensino-pesquis-aextensão. Integração ensino pesquisa e extensão. [on line] vol. 3(9). Disponível na internet em http:// www.ecientificocultural.com/ECC2/artigos/epe.htm. Acesso em 19 Set. 2016.

Oliveira, Maria Waldenez de; Silva, Petronilha Beatriz Gonçalves e; Gonçalves Junior, Luiz; Garcia-Montrone, Aida Victoria; Joly, Ilza Zenker (2009). Processos educativos em práticas sociais: reflexões teóricas e metodológicas sobre pesquisa educacional em espaços sociais. 32ª Reunião Anual da ANPEd. Caxambu/MG.

Pinto, Álvaro Vieira (1986). A questão da universidade. São Paulo: Cortez: Autores Associados.

Rosa, Isaquiel Macedo da (2011). Educação popular, integralidade e formação em enfermagem no cenário da extensão universitária. [Dissertação de Mestrado]. Programa de Pós-graduação em Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Santos, Boaventura de Sousa (2011). A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 3.ed. São Paulo: Cortez.

Serrano, Rossana Maria Souto Maior (2011). As tensões na universidade e as pretensões da extensão universitária popular. In. Baptista, Maria das Graças de Almeida; Palhano, Tânia Rodrigues. Educação, Extensão Popular e Pesquisa: metodologia e prática. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB.

Silva, Petronilha Beatriz Gonçalves; Araujo-Olivera, Sonia Stella (2004). Cidadania, ética e diversidade: desafios para a formação em pesquisa. VI Encuentro – Corredor de las ideas del cono sur “Sociedad civil, democracia e integración” – Montevideo – 12 marzo. Salón 3 – Educación – Educación Superior.

Sousa, Ana Luiza Lima (2000). A história da extensão universitária. São Paulo: Alínea.

Tauchen, Gionara; Monteiro, Maria Cecília Madruga; Viero, Tatiane Vedoin (2012). Políticas, concepções e ações de Extensão na Educação Superior Brasileira. In. Momento, Rio Grande, 21 (1): 9-28.

Teixeira, Anísio (1998). A universidade de ontem e hoje. Rio de Janeiro: EdEURJ.

Triviños, A. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas,.

Vergara, Sylvia C. (2009). Métodos de coleta de dados no campo. São Paulo: Atlas.
Publicado
2018-01-31
Cómo citar
Zanquêta de Souza, T., & Waldenez de Oliveira, M. (2018). Pensar la universidad: una mirada desde la extensión popular. Revista Iberoamericana De Educación, 76, 239-256. Recuperado a partir de https://rieoei.org/RIE/article/view/2862
Sección
Artículos del monográfico