A construção da identidade socioprofissional dos educadores de infância masculinos – um contributo

  • Mariana Grazina Cortez Escola Superior de Educação João de Deus, Portugal

Resumen

Apresenta-se uma breve sistematização teórica sobre o processo de construção das representações sócio-profissionais dos educadores de infância masculinos. Numa profissão tradicionalmente enquadrada num território feminino, este processo pressupõe uma rede de interações pessoais e sócio-culturais, dado que esta dinâmica assenta em identificações dos indivíduos consigo, com os outros e com o meio envolvente num dado contexto espaço-temporal. Interessa analisar a origem de constrangimentos endógenos e exógenos, traduzidos em vinculações sócio-profissionais ativas e/ou possíveis conflitos identitários dado que a profissão docente na educação de infância é marcadamente feminina, provocando (des)igualdades de género.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Cargando métricas ...

Citas

CABRAL, João de Pina (2003) O Homem na Família –Cinco Ensaios de Antropologia. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais.

CABRAL, Ruben (1999) O Novo Voo de Ícaro –Discursos sobre Educação. Lisboa: Escola Superior de Educação João de Deus.

_______________ (2001) “Desafios à Educação na Europa do Século XXI” in: Brotéria, Vol.153 (5). Pp. 877-900.

CASTELLS, Manuel (2003) O Poder da Identidade. Vol. II. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

CONNELL, R. W. (2000) The Men and the Boys. Berkeley: University California Press.

CORTEZ, Mariana G. (2005) A Construção da identidade Masculina em Profissões Tradicionalmente Femininas (O Caso da Educação de Infância). Tese de Doutoramento. Lisboa: ISCSP-Universidade Técnica de Lisboa. (Policopiado).

_________________ (1999) “Ainda a Problemática da Identidade de Género na Educação...! –A Escolha da Profissão de Educador(a) de Infância” in: O Professor, n.º 65, III Série. Maio-Junho. Pp. 63-69.

CORTEZ, Mariana G. e AMBRÓSIO, Sofia (2002) “A Questão do Género no Contexto da Educação Pré-escolar” in: O Particular e o Global no Virar do Milénio: Cruzar Saberes em Educação. Porto: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação/Edições Colibri. Pp. 271-279.

CRUZ, Braga et. al. (1988) “A Situação do Professor em Portugal” in: Análise Social. Vol. XXIV (103-104). Pp. 1187-1293.

DEMARTIS, Lucia (2002) Compêndio de Sociologia. Lisboa: Edições 70.

DEMARTINI, Zeila B. e ANTUNES, Fátima F. (2002) “Magistério Primário: Profissão Feminina, Carreira Masculina” in: CAMPOS, M. Christina e SILVA, Vera Lucia (Orgs.) Feminização do Magistério: Vestígios do Passado que Marcam o Presente.São Paulo: Universidade S. Francisco. Pp. 69-93.

ERDEN, Sule, et al. (2011) “I am a man, but I am a Pre-school Education Teacher: Self and Social Perception of Male Pre-school Teachers” in: Procedia Social and Behavioral Sciences. 15. Pp. 3199-3204.

GONZÁLEZ, J. e FUNDURA, L. (2010) “Es la Profesión del educador Preescolar un Terreno Vedado para los Varones?” in: Conrado Benitez Garcia, Vol. 6 (22). Cienfuegos: Universidad de Ciencias Pedagogicas.

GRÁCIO, Sérgio (1997) Dinâmicas da Escolarização e das Oportunidades Individuais. Lisboa: EDUCA.

GROVES, Kevin (2005) “Gender Differences in Social and Emotional Skills and Charismatic Leadership” in: Journal of Leadership and Organizational Studies. Vol.11. nº 3. Pp. 30-45.

JOAQUIM, Teresa (2000) “Saúde das Mulheres –Cuidar dos Outros, Cuidar de Si” in: Ex Aequo, nº 2/3. Pp. 191-204.

JONES, M. G. (1989) “Gender Issues in Teacher Education” in: Journal of Teacher Education. Vol. 40 (1) Pp. 33-38.

KUGELMASS, J. e ROSS-BERNSTEIN, J. (2000) “Explicit and Implicit Dimensions of Adul-Child Interactions in a Quality Childcare Center” in: Early Childhood Education Journal. Vol. 28 (1). Pp. 19-27.

LINBLAD, Sverker e PRIETO, Héctor P. (1992) “School Experiences and Teacher Socialization: A Longitudinal Study of Pupils who Grew up to be Teachers” in: Teaching and Teacher Education. Vol. 8 (5/6). Pp. 465-470.

LIPIANSKY, Edmond (1998) “L’Identité Personnelle” in: RUANO-BORBALAN, Jean-Claude (Coord.) L’Identité –L’Individu, Le Groupe, La Societé. Paris: Éditions Sciences Humaines. Pp. 21-30.

LOURO, Guacira L. (1997) Gênero, Sexualidade e Educação: uma Perspectiva Pós-Estruturalista. Petrópolis: Vozes Editora.

MEAD, Margaret (1971) Macho e Fêmea. Petrópolis: Editora Vozes.

MEAD, G. Herbert (1934) Mind, Self and Society. Chicago: University of Chicago Press.

MILLS, Martin et. al. (2004) “Attracting, Recruiting and Retaining Male Teachers: Policy Issues in the Male Teacher Debate” in: British Journal of Sociology of Education. Vol. 25 (3). Julho. Pp.355-369.

MORIN, Edgar (1999) Os Sete Saberes para a Educação. Lisboa: Instituto Piaget.

_____________(2001) O Desafio do Século XXI –Religar os Conhecimentos. Lisboa: Instituto Piaget.

POSTIC, Marcel (1990) “Motivations pour le Choix de la Profession D’enseignant” in: Revue Française de Pédagogie, n.º 91. Abril-Maio-Junho. Pp. 25-36.

SEGALEN, Martine (1999) Sociologia da Família. Lisboa: Terramar.

SILVA, Tadeu (1999) Documentos de Identidade –Uma Introdução às Teorias do Currículo. Belo Horizonte: Autêntica.

SMULYAN, Lisa (2004) “Redefining Self and Sucess: Becoming Teachers and Doctors” in: Gender and Education. Vol. 16 (2). Pp. 225-245.

THOMPSON, Cooper (2001) “A New Visison of Masculinity” in: ANDERSEN, Margaret e COLLINS, Patricia (Orgs.) Race, Classand Gender: An Anthology. Belmont: Wadsworth/Thompson Learning. Pp. 205-211.

TORRES, Anália (2002) “Casamento: Conversa a duas Vozes e em três Andamentos” in: Análise Social. Vol. XXXVII (163). Pp. 569-602.

TRIGUEROS, Teresa et. al. (1999) Identidade e Género na Prática Educativa. Lisboa: Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres (CIDM).

TSIGRA, Meni (2010) “Male Teachers and Children’s Gender Construction in Preschool Education” in: OMEP-World Congress. Gothenburg, Sweden.

WILLIAMS, Christine (1989) Gender Differences at Work: Women and Men in Nontraditional Occupations. London: University of California Press.
Publicado
2014-05-15
Cómo citar
Grazina Cortez, M. (2014). A construção da identidade socioprofissional dos educadores de infância masculinos – um contributo. Revista Iberoamericana De Educación, 65(1), 1-9. https://doi.org/10.35362/rie651326
Sección
- Género y educación