Contribuição do Sistema de gestão de aprendizagem (LMS) para a gestão do conhecimento corporativo

  • Maria Helena Mauro Universidade Nove de Julho – UNINOVE, Brasil
  • Marcos Antonio Gaspar Universidade Nove de Julho – UNINOVE, Brasil
  • Fábio Kazuo Ohashi Universidade Nove de Julho – UNINOVE, Brasil
  • Fábio Luís Falchi de Magalhães Universidade Nove de Julho – UNINOVE, Brasil
  • Marcos Vinicius Cardoso Universidade Nove de Julho – UNINOVE, Brasil
Palabras clave: Competência profissional;, aprendizado organizacional, mbiente virtual de aprendizagem, E-learning;, gestão do conhecimento

Resumen

Esta pesquisa tem como objetivo apresentar uma análise dos recursos disponíveis no Sistema de Gestão de Aprendizagem (LMS) no mercado corporativo, a fim de avaliar quais recursos são mais importantes para a gestão do conhecimento nas empresas. O propósito é colaborar com as empresas para que utilizem com mais eficiência os recursos disponíveis no LMS, servindo assim de suporte na análise para a aquisição de software LMS a ser aplicado à gestão do conhecimento organizacional. A análise considerou as aplicações de empresas líderes em dois levantamentos realizados pela Gartner e Forrester nos anos de 2015 e 2016, considerando as principais características destacadas em cada uma delas. Essa informação mostrou a estreita relação entre o e-learning (no caso desta pesquisa, o LMS) e a gestão do conhecimento. Os principais resultados destacam que as ferramentas de treinamento e aprendizagem são fundamentais na fase de obtenção e aquisição de conhecimento. Recursos como grupos de discussão, comunidades, reuniões on-line e compartilhamento de conteúdo são críticos na fase de distribuição e compartilhamento de conhecimento. Esses recursos contribuem, em conjunto, para a disseminação do conhecimento em torno da empresa, bem como para a ampliação do seu compartilhamento.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Bari, M. W., Fanchen, M., & Baloch, M. A. (2016). The relationship between knowledge management practices, innovativeness and organizational performance (a case from software industry). Science International, 28(1).
Clementino, A. (2008). Didática intercomunicativa em cursos online colaborativos. Tese de Doutorado, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.
Cohen, E. (2010). Is the LMS Dead?. On line Educa conference, 16th International Conference on Technology Supported Learning & Training, Berlin, Alemanha.
Cuellar, R. M., & Aguilar, L. J. (2012). DACE, um modelo de aplicación de Entornos Virtuales de Aprendizaje para la transferencia de conocimiento entre centros de formación profesional y empresas. Revista Iberoamericana de Educación. 60, pp. 143-152.
Davenport, T., & Prusak, L. (1998). Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus.
De Sordi, J. O., & Azevedo, M. C. (2008). Análise de competências individuais e organizacionais associadas à prática de gestão do conhecimento. São Paulo: RGBN.
Fernandes, A. A., & Abreu, V. F. (2014). Implantando a governança de TI: da estratégia à gestão dos processos e serviços. Rio de Janeiro: Brasport.
Figueira, M. (2003). O valor do e-learning. Porto: Sociedade Portuguesa de Inovação.
Foganholo, A. L., & Kuniyoshi, M. S. (2016). Gestão do Conhecimento: Um estudo sobre a relação entre a Liderança Transformacional, a Conversão do Conhecimento e a Eficácia Organizacional. Espacios. 37(35), 29.
Forrester. (2016). The Forrester Wave™: Learning And Performance Management, Q4 2016. Recuperado em 03 janeiro, 2016, de https://www.forrester.com/report/The+Forrester+Wave+Learning+And+Performance+Management+Q4+2016/-/E-RES118174
Fuller, T. F. (2013). Beyond training: The impact of learning management system (LMS) on employee turnover. Czech Republic: The Fourth International Conference on e-Learning. Recuperado em 10 de janeiro de 2017 de SDIWC – Digital Library: http:www.sdicwc.net
Gartner. (2015). Magic Quadrant for Talent Management Suites. Disponível em: https://www.gartner.com/doc/reprints?id=1-2J3NE3Q&ct=150707&st=sb
Gaspar, M. A., Santos, S. A., Donaire, D., Kuniyoshi, S., & Prearo, L. C. (2011). Gestão do conhecimento em empresas atuantes na indústria de software no Brasil: um estudo das práticas e ferramentas utilizadas. III Encontro da Administração da Informação da ANPAD, Porto Alegre, RS, Brasil.
Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.
Godoy, A. S. (1995). Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. In: Revista de Administração de Empresas, 35(2), São Paulo.
Judrups, J. (2015). Analysis of knowledge management and e-learning integration models. Procedia Computer Science, 43, 1-162, disponível em Science Direct.
Kane, K., Combre, J. R., & Berge, Z. L. (2010). Tapping into social networking. Vine, 40(1), 62-70. Emerald Insight.
Nonaka, I., & Takeuchi, H. (1995). The knowledge creating company: how Japanese companies create the dynamics of innovation. Oxford: Oxford University Press.
Peña, R. F., Waldman, F. B., Berbain, N. M. S. P., Tejada, G. A., Cadirant, G. S., Passaglia, J., & Contrera, M. (2012). Implementación de los entornos virtuales de aprendizaje en cursos de capacitación docente. Revista Iberoamericana de Educación. 60, pp. 117-128.
Rossetti, A. G., & Morales, A. B. T. (2007). O papel da tecnologia da informação na gestão do conhecimento. CI Inf., Brasília. 36(1), 124-135.
Sammour, G., Schreurs, J., Al-Zoubi, A.Y., & Vanhoof, K. (2008). The role of knowledge management and e-learning in professional development. Int. J. Knowledge and Learning, 4(5), 465-477.
Silveira, A. M. (2015). Governança corporativa no Brasil e no mundo: teoria e prática. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier.
Stewart, P. (1997). Intellectual capital: The new wealth of organizations. New York: Bantam Doubleday Dell Publishing Group.
Publicado
2017-06-30
Cómo citar
Mauro, M. H., Gaspar, M. A., Kazuo Ohashi, F., Falchi de Magalhães, F. L., & Cardoso, M. V. (2017). Contribuição do Sistema de gestão de aprendizagem (LMS) para a gestão do conhecimento corporativo. Revista Iberoamericana De Educación, 74(1), 99-118. https://doi.org/https://doi.org/10.35362/rie741662
Sección
- Formación profesional