A dislexia no ensino superior: características, consequências e estratégias de intervenção

  • Catarina Frade Mangas Instituto Politécnico de Leiria, Portugal
  • José Luis Ramos Sánchez Universidad de Extremadura (UEX), España

Resumen

Actualmente o Ensino Superior abre portas a estudantes com Necessidades Educativas que outrora seriam excluídos, aumentando a diversidade destes estudantes. Entre estes estão sujeitos com dificuldades específicas de aprendizagem, tal como o caso da dislexia. Neste sentido, o presente artigo contextualiza o tema, pondo o enfoque nas dificuldades de aprendizagem em geral e na dislexia no Ensino Superior em particular.
Quanto às opções metodológicas, o estudo guiou-se por uma abordagem do tipo qualitativo. Assim, seleccionámos um grupo de cinco alunos disléxicos, aos quais fizemos entrevistas, um psicólogo e um professor que juntamente com os alunos participaram num grupo de discussão. Recolhemos, ainda, de forma a complementar os dados, os relatórios de observação e avaliação destes alunos, tendo sido estes três instrumentos analisados através de uma análise de conteúdo que permitiu posteriormente uma comparação entre os dados recolhidos.
Os resultados da nossa investigação permitiram-nos concluir que, globalmente, as características dos alunos disléxicos os influenciam no Ensino Superior, uma vez que as dificuldades inerentes à dislexia resultam em consequências comportamentais, emocionais, sociais e académicas. Neste sentido, importa adoptar estratégias neste nível de ensino que possibilitem uma identificação e avaliação eficazes da dislexia, com vista ao seu sucesso académico, implementando programas que permitam que o perfil do aluno seja identificado e que procedimentos educacionais mais adequados sejam empregados.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
Publicado
2010-10-10
Cómo citar
Frade Mangas, C., & Ramos Sánchez, J. L. (2010). A dislexia no ensino superior: características, consequências e estratégias de intervenção. Revista Iberoamericana De Educación, 53(7), 1-14. https://doi.org/10.35362/rie5371700
Sección
- Educación inclusiva