Computación en la educación básica: mejora del aprendizaje de la Geografía para estudiantes con discapacidades visuales

Palabras clave: IncIlusión, Prototipos, Mapas táctiles, Enseñando, Materiales de enseñanza

Resumen

La sociedad brasileña no garantiza a las personas con discapacidad los recursos educativos que permitan una educación inclusiva e igualitaria para todos. Demostramos la efectividad y eficiencia en el uso de recursos computacionales sumados a los conceptos del diseñador para el desarrollo de un producto innovador e inclusivo. La investigación se llevó a cabo en el Instituto Benjamin Constant. La metodología utilizada fue el prototipado informático evolutivo y la técnica de entrevista para la validación del Mapa. En la evaluación se utilizó la técnica de entrevista, cuestionarios, además de la observación sistemática no participante. Participaron tres profesores de geografía y diez estudiantes con discapacidad visual que estudiaron el contenido propuesto. Los docentes aprobaron la tecnología en sus características y funcionalidad, respectivamente, en un 90,06% y 97%. Los estudiantes calificaron las características del mapa con un 94.54% y las características con una calificación de aprobación del 99.25%. La investigación promovió la calidad de la enseñanza a los estudiantes con discapacidad visual cuando les permitió manejar un volumen de información sobre la Región Sudeste de Brasil y aumentó su autonomía al permitirles repetir cualquier información que no habían asimilado, sin necesidad de ayuda

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Elias Dos Santos Silva Junior, Universidade Federal Fluminense (UFF), Brasil

Doutorando em Ciências Tecnologia e Inclusão - PGCTIn - UFF; Mestre em Diversidade e Inclusão (UFF, 2018); Especialista em Tecnologia de Redes de Computadores (UFLA, 2008); Licenciado em Informática pela Universidade Veiga de Almeida (UVA, 2007); Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade Veiga de Almeida (UVA, 2006). Técnico em Informática pelo Centro de Ensino e Treinamento Aplicado a Profissionais (CETAP, 2016). Técnico em Eletrônica pela Escola Técnica Estadual Henrique Lage (ETEHL, 1999). Registro CREA RJ 2000104200 desde Jul./2000. Professor Docente II de 2007 até 2010, lecionando as seguintes disciplinas: Montagem e Manutenção de Computadores, Lógica e Algoritmos, Informática Básica, Redes de Computadores, Programação para Internet, Análise e Método de Pesquisa, no curso Pós Médio do Colégio Estadual Professor Renato Azevedo (Cabo Frio RJ). Pesquisador na área de Tecnologia Assistiva destinada à Deficiência Visual aplicando a Eletrônica e a Computação em Mapas Táteis. Experiência na área da Eletrônica, Ciência da Computação, Redes de Computadores, Educação e Ensino da Informática.

Ruth Maria Mariani Braz, Universidade Federal Fluminense (UFF), Brasil

Doctor en Ciencias y Biotecnología por la Universidade Federal Fluminense. Especialización Lato Sensu en Educación Física Especial en el Área de Discapacidad Mental (Universidad Castelo Branco). Soy Licenciado en Educación Física por la Universidad Federal Rural de Río de Janeiro. Soy docente docente I - Secretaria de Educación del Estado de Rio de Janeiro, actualmente docente en la Maestría Profesional en Diversidad e Inclusión como docente permanente. Actué como coordinadora ejecutiva del proyecto Internacional Spread The Sign en Brasil. Desarrollo investigaciones relacionadas con didáctica, Educación Inclusiva, tecnología asistencial, confección de materiales adaptados con el fin de ayudar a los estudiantes con discapacidad en las clases regulares de docencia, filosofía que defiendo y que actualmente es adoptada en las instituciones en las que trabajo. Coordino el proyecto Galileu Galilei, tengo experiencia en el área de Educación, con énfasis en Educación Integrada, actuando principalmente en los siguientes temas: formación docente, políticas públicas, diversidad, sensibilización, adaptación de materiales, tecnologías y juego.

Fabiana Rodrigues Leta, Universidade Federal Fluminense (UFF), Brasil

Professora Titular do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal Fluminense. Possui graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal Fluminense (1989), mestrado em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1992) e doutorado em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1998). Foi Diretora da Escola de Engenharia da UFF de novembro de 2018 a fevereiro de 2020. Foi responsável pela criação da AGIR - Agência de Inovação da Universidade Federal Fluminense, ocupando o cargo de diretora no período de 2009 a 2014. Criou o Centro Integrado de Tecnologia e Inovação da Escola de Engenharia da UFF desde 2014. Foi editora da revista da Escola de Engenharia da UFF, Engevista, até 2016 . Coordena o Laboratório de Metrologia Dimensional e Computacional, criado pela mesma na UFF. É membro da Associação Brasileira Ciências de Engenharia Mecânicas e da Associação Brasileira de Educação em Engenharia. Atua no Programa de Pós-graduação em Ciências, Tecnologias e Inclusão e no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica da UFF. Coordena diversos projetos e orienta alunos de graduação e pós-graduação. É tutora do Programa de Educação Tutorial (MEC-SESu). Desenvolve pesquisas principalmente nas seguintes áreas: Visão Computacional, Metrologia, Inovação Tecnológica, Ensino de Engenharia e Petróleo e Gás. 

Sérgio Crespo Coelho da Silva Pinto, Universidade Federal Fluminense (UFF), Brasil

Graduated in data processing from the University of Vale do Rio dos Sinos (1987).
Master in Systems and computer engineering from the Federal University of Rio de Janeiro COPPE/Sistemas (1995) and PhD in Informatics from the Pontifical Catholic University of Rio de Janeiro (2000).
I was a full professor at the Vale do Rio dos Sinos University from 1990 to 2013. I was Editor in chief of the Brazilian Journal of Informatics in Education (1414-5685).
I was a guest advisor in the master's program in ICT at the Technological University of Panama in the area of software engineering.
Visiting Professor from April 2013 to November 2013 at the DCC-UFMG.
Advisor in the professional master's program in Diversity and Inclusion.
Advisor in the doctoral program in Sciences, Technologies and Inclusion.
I have experience in the area of computer science, with emphasis in Software engineering, working mainly on the following topics: frameworks, design patterns, distance education, informatics in education, diversity and inclusion.

Citas

Alexandrakis, V. (2016). A participatory approach to the development of specifications for a 3D puzzle for visually impaired and sighted users. 103f. Dissertation (Master of Science) - Royal Institute of Technology in Stockholm. Stockholm, 2016. Recuperate of: https://bit.ly/3qtDu6J

Alves, D. A., Alencar, A. C. M. & Bezerra, H. C. J. (2016). A cartografia tátil como recurso didático para inclusão de deficientes visuais nas aulas de geografia: breves considerações. In: II Congresso Internacional de Educação Inclusiva e III jornada chilena brasileira de educação inclusiva. Campina Grande - PB, 2016. Anais... Pernambuco: Realize. p. 1-12. Recuperate of: https://bit.ly/2YuSfdG

Amiralian, M. T. (1997). Compreendendo o cego. São Paulo: Casa do Psicólogo,

Arruda, L. M. S. (2016). Geografia na infância para discentes com deficiência visual: a utilização de uma maquete multissensorial para a aprendizagem do conceito de paisagem. Giramundo, 3(5), 93-101. Recuperate of: https://bit.ly/3BXShZf

Bem, G. M. de (2016). Parâmetros de fabricação de símbolos de mapas táteis arquitetónicos. 204f. Dissertação (mestre em arquitetura e Urbanismo) Universidade de Santa Catarina. Recuperate of: https://bit.ly/3zepgLa

Bersch, R. (2017). Introdução a tecnologia assistiva. Tecnologia e educação: Porto Alegre, p. 1-20. Recuperate of: https://bit.ly/3klaREA

Brandão, J. (2009). Vivenciando a Matemática. São Paulo: Scortercci,

Brasil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Recuperate of: https://bit.ly/3D8Ad08

Brasil. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Recuperate of: https://bit.ly/3D0rAVi

Brasil. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União. Recuperate of: https://bit.ly/3C0qx6n

Brule, E., Bailly, G., Brock, A., Valentin, F., Denis, G. & Jouffrais, C. (2016, May). MapSense: multi-sensory interactive maps for children living with visual impairments. Proceedings of the 2016 CHI conference on human factors in computing systems (pp. 445-457). https://doi.org/10.1145/2858036.2858375

Cenci, C. A. & Bernardi, N. (2016). Maquetes Táteis produzidas a partir de Técnicas de Fabricação Digital: investigação de simbologia para orientação espacial de deficientes visuais. In: VI Encontro Nacional De Ergonomia do Ambiente Construído & VII Seminário Brasileiro de Acessibilidade Integral, 2., 2016, Salvador. Anais... São Paulo: Bluche, p.248-259. Recuperate of: https://bit.ly/3C0Pi2c.

Cook, A.M. & Hussey, S. M. (1995). Assistive Technologies: Principles and Practices. St. Louis, Missouri. Mosby – Yearbook,

Degreas, H. N. & Katakura, P. (2016). Mapas táteis: orientação e mobilidade em ambiente urbano. Revista Brasileira de Cartografia, 68(8), 1-18. Recuperate of: https://bit.ly/3C0J3LX

Figueiredo, J. R. M. (2014). O presente pelo passado: variação verbal em narrativas de deficientes visuais. Rio de Janeiro: Instituto Benjamin Constant. Recuperate of: https://bit.ly/3CXnZqS

Figueiredo, J. R. M. (2017). Deficiência Visual: Desafios para a Educação Inclusiva. Seminário de Educação Cruz Alta/RS, 5(1), 35-36, Recuperate of: https://bit.ly/3qsWSAN .

Giorgos, M. (2017). Research, study, design, and production of a tactile map, created by 3d printing technology, to cater the people with partial or total blindness in the interactive park and the citadel of Leivithra. 46f. Dissertation (Master of Science (MSc) in Strategic Product Design) -Internacional Hellenic University, Thessaloniki – Greece, 2017. Recuperate of: https://bit.ly/3BZ551p

Koehler, K. E. (2017). Examining the Conceptual Understandings of Geoscience Concepts of Students with Visual Impairments: Implications of 3-D Printing. Doctor (Doctor of Philosophy)- Graduate School of The Ohio State University, Ohio. Recuperate of: https://bit.ly/3n10MPd

Lima, P. C. & Fonseca, L. P. (2016). Recursos táteis adaptados ou construídos para o ensino de deficientes visuais. In: XIII Congresso brasileiro de ensino superior à distância e II Congresso internacional de educação superior a distância. São João Del Rei- MG, 2016. Anais... São João Del Rei, p. 1-15. Recuperate of: https://bit.ly/3okkLb4

Lynn, L. E. (1980). Designing Public Policy: a Cas e-book on the Role of Policy Analysis. Santa Monica, Calif.: Goodyear.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2011). Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas.

Mead, L. (1995). Public policy: vision, potential, limits. Policy Currents (Newsletter of the Public Policy Section, APSA), 68(3).

Minhat, M., Abdullah, N. L., Idrus, R. & Keikhosrokiani, P. (2017, May). TacTalk: Talking tactile map for the visually impaired. In 2017 8th International Conference on Information Technology (ICIT) (pp. 475-481). IEEE. https://doi.org/10.1109/ICITECH.2017.8080045

Mussi, A. Q., Romanini, A., Lantelme, E. & Martins, M. S. (2016). Arquitetura inclusiva: a planta tátil como instrumento de projeto colaborativo com portadores de deficiência visual. In Congreso de la Sociedad Iberoamericana de Gráfica Digital (Vol. 20, pp. 387-393). Recuperate of: https://bit.ly/3wvmiP8

Nogueira, R. E. (Org.). (2016). Geografia e inclusão escolar teoria e práticas. Florianópolis: Edições do bosque. Recuperate of: https://bit.ly/3kmCM7a

Normandi, D. (2016). Design para acessibilidade: inclusão de pessoas com deficiência visual ao serviço de cinema. 353 f. Dissertação (mestrado em Arquitetura) -Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperate of: https://bit.ly/3wyGFe9

Oliveira, T. T. R. (2016). Estudo sobre a percepção acerca de aspectos geomorfológicos da paisagem pelo indivíduo com deficiência visual. 79 f. Dissertação (mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2016. Recuperate of: https://bit.ly/30dHo8V

ONU (1990). Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, Tailândia. Recuperate of: https://bit.ly/3EYKmwP

ONU (1994). Declaração de Salamanca: Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Salamanca, Espanha. Recuperate of: https://bit.ly/3oWDXNQ

Peters, B. G. (1986). American Public Policy. Chatham, N.J.: Chatham House.

Piaget (1978). O Nascimento da Inteligência da Criança. Rio de Janeiro: Zahar.

Pressman, R. S. (2011). Engenharia de Software: uma abordagem profissional. 7ª ed. Porto Alegre: McGrawHill.

Silva, K. C. & Rocha, M. L. da. (2016). A cartografia tátil na educação escolar. In: III Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão da UEG. Inovação: Inclusão Social e Direitos, v.3., 2016, Pirenópolis - Goiás. Anais... Pirenópolis, CEPE, p. 1-5. Recuperate of: https://bit.ly/3F7SVWh

Silva, P. A. (2017). O estudo da organização e representação espacial de discentes cegos para o ensino de conceitos cartográficos. São João Del Rei – MG. 2017. 171 f. Dissertação (mestre em Geografia) - Universidade Federal de São João Del Rei, 2017. Recuperate of: https://bit.ly/3F1wMIV

Sommerville, Ian (2011). Engenharia de Software. 9.ed. São Paulo: Pearson,

Stampach, R. & Mulickova, E. (2016). Automated generation of tactile maps. Journal of Maps, 12(S1), 532–540. https://doi.org/10.1080/17445647.2016.1196622

Vivarta, V. (Coord.) (2003). Mídia e deficiência. Diversidade, 2. Andi; Fundação Banco do Brasil. Recuperate of: https://bit.ly/3C1p7sj

Cómo citar

Dos Santos Silva Junior, E., Mariani Braz, R. M., Rodrigues Leta, F., & Crespo Coelho da Silva Pinto, S. (2022). Computación en la educación básica: mejora del aprendizaje de la Geografía para estudiantes con discapacidades visuales. Revista Iberoamericana De Educación, 89(1), 147-165. https://doi.org/10.35362/rie8914809
Publicado
2022-06-30
Sección
Haciendo realidad la inclusión en la escuela: condiciones, desafíos y prácticas
Bookmark and Share

Otros artículos recomendados del autor/a o autores/as publicados en esta revista